A constante evolução da tecnologia vem revolucionando a dinâmica interna do mundo corporativo. Encontrar soluções mais eficazes para os diferentes processos de uma empresa, seja na linha de produção ou na gestão, já é parte da rotina de quem dirige o negócio. Entretanto, são tantas as novidades que nem sempre é fácil acompanhar o impacto de cada uma delas.

O controle de qualidade industrial é um bom exemplo disso. Robôs e controladores estão cada vez mais presentes para auxiliar nesse processo, mas é comum que surjam dúvidas sobre como eles podem ser implementados. Pensando nisso, mostraremos aqui tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

Você conhece as metodologias e os processos de controle de qualidade industrial?

Em primeiro lugar, é importante relembrar algumas questões ligadas às metodologias e aos processos de controle de qualidade na indústria. No Brasil, os padrões exigidos para tais atividades são definidos pela ISO 9001, que trata da qualidade de produtos e serviços de forma mais específica. Isso influencia diretamente na forma como robôs e controladores são utilizados para este fim.

A ISO 9001 certifica os Sistemas de Gestão de Qualidade e estipula os requisitos básicos para sua implementação. Assim, qualquer que seja a estratégia escolhida para garantir a qualidade na indústria deve, primeiro, ser planejada de forma a se adequar às normas da ISO 9001.

Robôs e controladores têm, em seus sistemas, parâmetros programados para atender a características específicas. O importante é garantir que eles se encaixem nos requisitos para garantia da qualidade esperada.

Pensando nisso, foi desenvolvida a ISO 10218, que lida diretamente com as especificações de segurança para utilização de robôs industriais. Trata-se de uma referência definitiva para quem busca implementar a tecnologia com este fim.

Mas, afinal, qual o diferencial de contar com robôs e controladores nos processos de controle de qualidade?

Controladores e robôs ajudam no controle de qualidade

A automação dos processos industriais é natural e vem alcançando cada vez mais atividades. Um dos maiores benefícios é, além da velocidade na produção, a garantia de qualidade do produto final. A robótica oferece padrões específicos para cada processo, algo que não pode ser feito com tanta exatidão pelo trabalho humano.

Contando com a padronização dos processos e aplicando ciclos repetitivos de produção, os robôs são capazes de entregar um produto com excelência na qualidade. É fácil compreender, já que eles têm a capacidade de realizar ajustes mais finos do que o ser humano, além de manterem o mesmo desempenho depois de longos períodos operando.

Tomemos como exemplo uma indústria farmacêutica. O processo de inserção de um produto químico dentro de uma cápsula exige uma precisão enorme e não dá margem para erros. A robótica permite o auxílio das máquinas para que a medida seja assertiva, algo bem mais complicado se realizado apenas por pessoas.

O controlador, por sua vez, é utilizado para automação dos processos. Se determinadas atividades podem ser realizadas apenas por robôs, aumentando seu nível de qualidade, é preciso cuidar para que elas sejam automatizadas e controladas de forma a garantir sua eficiência.

Assim, os controladores são responsáveis pela programação que define as especificidades do processo em uma determinada empresa, visando garantir a otimização dos ciclos e o melhor desempenho na produção.

São muitos os benefícios da implementação desses sistemas. Podemos destacar desde a redução de custos e o aumento da produtividade até a melhoria da segurança dos funcionários e, é claro, o aumento da qualidade.

Normas de utilização de robôs e controladores na indústria

Apesar da existência de rígidos sistemas para controle de qualidade, como a ISO, lidar com robôs envolve possibilidades de aplicação tão amplas que se tornou mais interessante desenvolver uma referência universal para as empresas. Foi pensando nisso que a IEC (International Electrotechnical Comission) criou, por meio de um grupo de especialistas, a norma IEC 61131.

O ponto alto dessa norma é lidar com a questão de uma forma bastante prática e, ao mesmo tempo, garantir que as empresas possam implementar os robôs e controladores estando ainda de acordo com o que mandam as normas de cada país, como no caso da ISO 9001. A IEC 61131-3, por exemplo, diz respeito à linguagem de programação a ser utilizada, garantindo que ela siga um padrão universal que possibilite a compreensão dos profissionais em todo o mundo.

Pensando nos controladores, isso se torna um diferencial ainda maior. Afinal, eles podem trabalhar no desenvolvimento de ciclos de produção com alto nível de precisão, o que aumenta a qualidade final dos produtos.

É possível identificar a existência de normas regulamentadoras que garantem boas condições para que as empresas automatizem, cada vez mais, seus processos industriais. Então, quais são as perspectivas para o futuro?

O futuro da automação industrial

Falar de previsões nunca é uma tarefa fácil e tampouco permite afirmações exatas. Entretanto, analisando o cenário das últimas décadas e o ritmo acelerado da evolução tecnológica, é possível prever um ambiente industrial cada vez mais dominado pela presença de robôs e controladores.

A ausência de processos automatizados na produção industrial já resulta, sem sombra de dúvidas, em prejuízos para a empresa, pois causa problemas na qualidade do produto e, consequentemente, em seu valor de mercado. Construir uma marca forte, nos dias de hoje, exige que a empresa oferece confiabilidade em seus produtos.

Quando buscamos implementar uma nova tecnologia, é fundamental avaliar o que o mercado oferece de mais eficiente e verificar de que forma isso pode ajudar na realidade de nossa empresa. O que podemos ver hoje é que a indústria opta pela automação em larga escala e investe em sistemas que facilitam todos os níveis do processo.

De forma mais prática, podemos pensar na questão das linguagens de programação focadas em automação. Empresas que buscam desenvolver fórmulas mágicas acabam tendo problemas com a compatibilidade entre diferentes máquinas, simplesmente por utilizarem linguagens de programação que não permitem a comunicação com uma ampla variedade de equipamentos.

A IEC 61131-3, por exemplo, têm sido cada vez mais utilizada como referência e os benefícios tendem a continuar crescendo. Se o futuro da automação é otimizar cada vez mais os processos, nada como um sistema de controladores e robôs que permita que o técnico faça sua implementação, manutenção e até mesmo adicione novos equipamentos sem ter complicações inesperadas devido à estrutura lógica.

Por isso, faça uma avaliação em sua empresa e verifique de que forma o controle de qualidade de sua empresa pode evoluir com o auxílio da tecnologia. Esse pode ser o diferencial que trará ainda mais destaque no mercado em que você atua!

Quer implementação com excelência? Então entre em contato com a Promotion e conte com o suporte de especialistas na área!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *