A velocidade de criação e renovação de aparatos tecnológicos é tão alta como o volume de informações e dados que são compartilhados diariamente nas organizações e entre elas.

Diante desse cenário, a segurança da informação da sua empresa pode ficar comprometida. Assim, um dos maiores desafios das companhias é encontrar as melhores maneiras de preservar esse patrimônio tão valioso.  

Para garantir a segurança da informação compartilhada diretamente entre máquinas e dispositivos, é preciso entender o quão delicada é a trajetória dessa comunicação. Crimes cibernéticos, alterações e perdas de dados estão entre os principais problemas enfrentados pelas organizações que não investem em segurança da informação.

Para entender o quão importante é aplicar recursos em segurança da informação, principalmente se ela trafega em ambientes online e em nuvem, acompanhe o nosso post com as dicas para a sua empresa.

O que é segurança da informação?

Segurança da informação envolve a proteção de dados e informações confidenciais ou não de uma empresa, que transitam entre todos os seus setores e ainda entre a organização e seus stakeholders.

Além disso, a segurança da informação diz respeito ao gerenciamento desses dados, composto por várias práticas que garantem o processamento, o armazenamento, a distribuição e o compartilhamento de forma íntegra, confidencial e disponível.

Podemos dizer que os pilares da segurança da informação são a integridade, a confidencialidade e a disponibilidade. Mas o que esses fundamentos representam para o compilado de informações da sua empresa?

Quais são os pilares da segurança da informação?

Integridade

A integridade é a salvaguarda da informação. É garantir que a informação compartilhada foi enviada ao seu destino de maneira íntegra e plena, ou seja, sem alterações e entre máquinas e dispositivos incorruptíveis.

Esse pilar da segurança da informação visa assegurar que as informações da empresa serão disponibilizadas e compartilhadas da mesma forma que foram finalizadas e salvas em um sistema. É uma maneira de proteger os dados e certificar de que eles não foram nem serão modificados ou violados.

Confidencialidade

A confidencialidade da informação é garantir que ela só é acessível para pessoas autorizadas. É a garantia da confiabilidade, ou seja, do sigilo dos dados. Isso tem a ver com a definição de níveis de acesso e até mesmo restrições por parte da empresa.

Essa decisão pode ter a ver com hierarquia e até mesmo com segredos industriais, que devem estar de acordo com as políticas de segurança de cada organização. É importante criar uma Política de Segurança de Informações (PSI) com regras e diretrizes que ditem práticas e técnicas e devem ser seguidas por todos os membros da companhia. É recomendado que o mais alto escalão da empresa crie essa política e a dissemine.  

Disponibilidade

Esse pilar é o que garante o acesso à dados e informações aos usuários ou receptores autorizados pela empresa, sempre que for preciso. É viabilizar o acesso, ou seja, deixá-las disponíveis a qualquer tempo e em qualquer lugar para que os usuários consultem ou as absorvam tanto nas máquinas e equipamentos que se encontram no parque fabril, bem como em dispositivos móveis.

Por que é importante para a empresa?

As empresas precisam entender a importância da segurança da informação e criar um planejamento para proteger dados e até mesmo seus produtos e serviços. Para isso, é preciso investir em infraestrutura e ainda em uma política de segurança baseada na cultura organizacional.

Quanto a infraestrutura, é importante realizar a topologia de rede da empresa de forma estratégica — controlando o acesso externo às informações corporativas —, investir em sistemas de monitoramento (intranet e extranet), na estrutura do servidor e em sistemas de firewall — barreira de proteção que ajuda a bloquear na rede o acesso ao conteúdo malicioso, mas sem inviabilizar o trânsito de dados confiáveis —, e ainda cuidar do ambiente físico da organização, desde a localização e acesso às máquinas e aos equipamentos mais valiosos.

No que diz respeito a cultura organizacional, é preciso criar regras para senhas, e-mails e ligações telefônicas. Alguns cuidados básicos de segurança são: as senhas nunca devem ser compartilhadas entre colaboradores, é preciso estabelecer a restrição e confidencialidade de e-mails, bem como da comunicação por voz.

Vale ainda estabelecer parâmetros de como a informação será trafegada em segurança entre a matriz e as filiais. A segurança da informação deve ser pensada desde o alto escalão da empresa até o chão de fábrica.

Como diminuir os riscos da indústria?

As indústrias são cada vez mais dependentes das informações armazenadas em sistemas e redes na nuvem. Assim, uma empresa que não se preocupa com a segurança da informação e não investe em tecnologias que garantam a proteção dos dados certamente estará colocando em risco sua continuidade e o sucesso dos seus resultados.

Vale destacar que algumas perdas ou danos à informação são irreversíveis, e a recuperação pode ser bem cara. Portanto, reunimos aqui alguns mecanismos lógicos de proteção para diminuir os riscos da sua indústria:

Internet dedicada

Ela permite restringir o tráfego de informações apenas para os funcionários da sua indústria autorizados a enviá-las e recebê-las.

Sistema de backup

Esse tipo de sistema é responsável por preservar as cópias das informações e dados corporativos, viabilizando a recuperação dos mesmos, caso ocorra a perda por apagamento não intencional ou por algum ataque cibernético.

Firewall

É um detector de intrusões, capaz de barrar invasões e garantir a confidencialidade das informações. O firewall é importante principalmente considerando o aumento do uso de dispositivos mobile, que permitem o acesso remoto às informações.

Fuzzer

O fuzzer assegura a autenticidade e integridade dos dados, contribuindo para o aprimoramento dos mecanismos internos de validação das informações em softwares e aplicativos.

Criptografia

A criptografia é a transformação do texto em uma combinação de códigos, o que impede a compreensão da mensagem por usuários não autorizados. Por meio de chaves privadas, a informação sai codificada da origem e só é decodificada quando chega ao receptor previamente autorizado.

Antivírus e analisador de código

Eles asseguram a integridade das informações, realizando a proteção dos dados contra softwares maliciosos — vírus e malwares.  

Analisador de tráfego

O analisador de tráfego auxilia no gerenciamento de tráfego e assegura a constante disponibilidade da informação.

Certificação

É um atestado de autenticidade dos arquivos. É uma garantia de que os dados e informações que constam naquele arquivo são válidos.

As empresas precisam desenvolver uma cultura organizacional de defesa cibernética e, mais que isso, investir em tecnologias e máquinas que estejam alinhadas com a segurança da informação. Uma pesquisa global em segurança da informação, realizada pela PricewaterhouseCoopers (PwC), em 2015, mostra um aumento de 38% no número de ataques cibernéticos no mundo, sendo que no Brasil o crescimento foi de 274%.

Dados da consultoria Gartner revelam ainda que os gastos mundiais com produtos e serviços que visam a segurança da informação atingiram US$ 81,6 bilhões em 2016, uma alta de quase 8% em relação ao ano anterior. Para saber mais sobre segurança da informação e produtos de automação e robótica, que garantem essa proteção para a sua indústria assine a newsletter da Promotion e fique por dentro das novidades. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *