Para aumentar a competitividade na indústria brasileira é necessário planejar ações que vão além de aprimorar o atendimento e melhorar a experiência dos clientes com a organização. Existem questões como desenvolvimento de mercado e automação de processos que também influenciam no posicionamento da sua empresa no mercado.

No artigo de hoje vamos falar mais a respeito da importância de ser competitivo, os fatores que influenciam nessa estratégia e apresentar algumas soluções que podem ajudar. Continue com a leitura e confira!

A importância de se manter competitivo no mercado

Para se tornar — e se manter — competitiva no mercado, é necessário investir em uma boa base de clientes, oferecer preços atraentes, construir uma imagem que transmita credibilidade e alcançar boa aceitação dos produtos e serviços que são ofertados.

Isso quer dizer que quanto maior for a competitividade de um negócio, maior eficiência ele terá em suas operações, garantindo alto nível de qualidade e aumentando as chances de fidelizar seu público e conquistar um número cada vez maior de pessoas. Em outras palavras, manter-se competitivo é sinônimo de sobrevivência e sucesso.

Fatores que trazem competitividade

Existe uma série de fatores que podem ajudar a promover o aumento da competitividade em uma empresa. Entre os principais deles, estão:

Automação de áreas e processos

Realizar investimentos em automação (máquinas, equipamentos e tecnologia) proporciona ganho em produtividade e em criação de valor agregado — que é aquele diferencial que os clientes buscam e estão dispostos a pagar um pouco mais caro. 

Além disso, a estratégia de automatizar áreas e processos ajuda a aumentar o controle sobre as operações, monitorar e levantar e compartilhar informações, diminuir o risco de erros e melhorar os resultados — de maneira geral.

Inovação

A busca constante por inovação ajuda as empresas a potencializarem sua competitividade. Isso se torna possível à medida que se desenvolve novos produtos e serviços, ou promove melhorias, possibilitando alcançar novos segmentos e aumentar a lucratividade.

Para que isso seja possível, deve-se criar um planejamento estratégico, promover uma cultura organizacional que tenha o foco voltado para novas ideias e criar um ambiente favorável que possibilite desenvolver a inovação.

Desenvolvimento de mercado

Desenvolver mercados é sinônimo de ampliar a venda dos produtos existentes para outros mercados (que também podem ser externos — exportação). Nesse caso, deve-se analisar quais deles são viáveis de serem penetrados e como deve ser feito o planejamento de expansão do negócio — envolvendo localização, perfil do público, possibilidade de aceitação, entre outros aspectos.

Otimização dos processos

A otimização dos processos também é parte fundamental da criação de competitividade nas empresas. É por meio dela que se identifica as falhas nos métodos de trabalho, suas possíveis causas e quais ações devem ser tomadas — tanto para melhorias, quanto para correções. 

A partir daí, consegue-se eliminar ou reduzir desperdícios (de tempo, mão de obra, máquinas e equipamentos, materiais, entre outros), o risco de erros e necessidade de retrabalhos, extravios de informações importantes e outras questões que prejudicam a eficiência operacional.

Um dos pontos intimamente ligados à competitividade é a possibilidade de oferecer preços atraentes para os clientes, o que faz o negócio se destacar dos concorrentes. E uma das possibilidades de conseguir melhorar a estratégia de precificação é por meio da redução dos custos.

Nesses casos, a diminuição dos gastos ajuda tanto na redução do valor dos produtos e serviços, quanto no aumento da lucratividade (fator que também torna a empresa mais competitiva).

Benchmarking

O benchmarking trata do estudo dos concorrentes, a fim de verificar quais são as melhores práticas aplicadas no mercado. Em outras palavras, identifica-se quais são os processos dos competidores que dão certo e qual é a viabilidade de adequá-los e implementá-los ao negócio.

O objetivo é conseguir aprimorar os processos, usando boas práticas do mercado como referência.

Soluções para a indústria brasileira ganhar competitividade no mercado

Já no que diz respeito à indústria brasileira, existem aspectos mais específicos que podem ajudar no ganho de competitividade. Entre as principais, podemos citar:

Robótica

A ideia por trás do investimento em robótica é obter ganho em produtividade, que acarreta uma série de outros benefícios como maior capacidade de atender altas demandas, eficiência nos processos e sucesso dos negócios.

Com a chamada 4ª revolução industrial (ou indústria 4.0), vieram muitas atualizações e novidades que permitiram o desenvolvimento do setor, como novas tecnologias e a possibilidade de desenvolver estratégias diferenciadas para entender e atender as necessidades dos clientes.

Nesse sentido, investir em robôs e novas máquinas é uma forma de ampliar a produtividade para atender o mercado, investir em modernização (nivelando aos competidores externos) e aumentando o ganho na eficiência operacional.

Controlador industrial

Já o controlador industrial, como o nome sugere, é desenvolvido para que as empresas consigam controlar máquinas e equipamentos usados no processo produtivo. Essa solução está alinhada com a automação da indústria e o investimento em robótica.

Apesar desses recursos e a possibilidade de melhorias que eles proporcionam, é válido fazer duas observações importantes:

  1. O ideal é também se investir em modernização dos ativos, haja vista que será bem mais difícil adotar um sistema de controle, por exemplo, em máquinas que possuem mais de uma década de uso;
  2. O investimento nas soluções citadas acima de preferência deve ser acompanhado de um suporte por parte da empresa que as fornece. Assim, torna-se possível obter ajuda especializada para integrar as tecnologia dentro do contexto de cada organização, considerando seu modelo de negócios;
  3. Investimento em treinamento: vale lembrar que, apesar de todos os aportes realizados, a mão de obra especializada é outro ativo crucial pra o sucesso das operações — visto que são elas as responsáveis por executar os processos e operar as  máquinas.

Como se pode ver, a indústria brasileira pode se beneficiar de estratégias que ajudem a criar a competitividade e fortalecer o negócio, além de auxiliar a aprimorar as operações e possibilitar a conquista de novos locais (mercados) de atuação.

O que achou do nosso post de hoje? Quer continuar acompanhando outros conteúdos como este? Então aproveite e assine a nossa newsletter para ficar por dentro de todas as novidades que lançamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *